Emater de A a Z

Sobre a EMATER

Detalhe Noticía

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
15/07/2017

Concurso valoriza produtores de queijo artesanal serrano

O 1º Concurso do Queijo Artesanal Serrano e o 10º Encontro do Produtor Rural, realizados nesta sexta-feira (14/07), no CTG Presilha Serrana, em Bom Jesus, mostraram um pouco do sabor e da tradição que marcam a 12ª Festa da Gila e 5ª Festa do Queijo Artesanal Serrano, que acontece no município.

Organizado pela Emater/RS-Ascar, Prefeitura, Sindicatos Rural e dos Trabalhadores Rurais e Sicredi, com o objetivo de valorizar e qualificar a fabricação do queijo serrano, o concurso contou com 30 produtores inscritos, de municípios da região dos Campos de Cima da Serra do RS e do Planalto Sul-Catarinense.

“O queijo artesanal serrano faz parte da vocação do povo serrano, da cultura local. O nosso projeto procura promover e valorizar esses produtos locais, como o queijo serrano e a gila, que são importantes para o desenvolvimento regional”, diz o assistente técnico estadual da Emater/RS-Ascar, Jaime Ries.

Após o julgamento técnico, realizado por profissionais da Emater/RS-Ascar, Epagri/SC e Seapa/RS, receberam troféus os três primeiros classificados nas categorias regional e municipal, e também foi escolhido o queijo mais popular, pelo voto do público.

Os três eleitos na categoria regional foram: em 1º lugar Maria e Antônio Lopes (São José dos Ausentes), em 2º lugar Rubens e Dinara Castilhos (Bom Jesus), e em 3º lugar Volnei e Amália Silveira Ramos. Na categoria municipal o 1º lugar foi conquistado por Rubens e Dinara Castilhos, o 2º por Volnei e Amália Silveira Ramos, e o 3º lugar ficou com Alzira e Luiz Varela. O queijo escolhido na avaliação popular foi o do produtor Ricardo Afonso Velho, de Bom Jesus.

Vencedores do 1º lugar na categoria regional, os produtores Antônio e Maria Lopes já estão acostumados a vencer competições. Esta foi a terceira premiação de 1º lugar que receberam em concursos na região dos Campos de Cima da Serra, além de uma medalha de bronze em um concurso de queijos artesanais brasileiros em São Paulo. “Eu fico muito contente com o apoio muito grande que tenho dos técnicos da Emater/RS-Ascar. Se não fosse por eles, eu não estaria aqui”, afirma Antônio, que atualmente é presidente da Aprocampos, a associação que reúne produtores de Bom Jesus e São José dos Ausentes.

Para Lopes, o queijo artesanal serrano representa a história da família, que já está na quarta geração na atividade. A filha Edinaira (27), com formação técnica em enfermagem, voltou para a propriedade para trabalhar com o queijo artesanal serrano. “Quero deixar um legado para ela continuar”, frisa.

Lopes se diz um eterno aprendiz, sempre procurando melhorar. “O meu sonho, como produtor, é estar dentro da lei”, afirma. Ele conta que no mês que vem vai inaugurar a sua queijaria em São José dos Ausentes e que queria poder ter a liberdade de vender o seu produto para todo o país.

“Cada vez mais, os produtores estão percebendo que eles têm um produto diferenciado na mão (ligado a um território e um modo de fazer). Com certeza, o queijo artesanal serrano é um dos mais importantes, hoje conhecido e reconhecido pela sua qualidade. Os produtores estão investindo cada vez mais na qualificação, entregando um produto seguro para o consumidor e de melhor qualidade”, salienta Ries.

Para o veterinário Danilo Cavalcanti Gomes, da Seapa/RS, esse diferencial possibilita a agregação de valor ao produto. “Quem consome um queijo artesanal não está consumindo apenas um produto, mas uma experiência”, disse Gomes, que falou sobre a valorização dos queijos de leite cru e a experiência de Minas Gerais, no Encontro do Produtor Rural. Ele ressaltou também a importância desses queijos para o desenvolvimento econômico e turístico das regiões produtoras e para a sucessão familiar rural.

O encontro teve, ainda, palestra com o pesquisador da Embrapa, João Carlos Taffarel, sobre tecnologias para elaboração de suco de uva e de maçã como alternativas de renda na agricultura familiar, além de painéis de entidades expositoras.

A 12ª Festa da Gila e 5ª Festa do Queijo Artesanal Serrano acontece até domingo (16), no ginásio poliesportivo de Bom Jesus, com entrada franca.

Indicação Geográfica do Queijo Serrano
E no dia 04 de agosto, haverá um Seminário de Indicação Geográfica (IG), no Orion Parque Tecnológico da Serra Catarinense, em Lages/SC, a partir das 14h30. Além de palestras sobre a importância das indicações geográficas para o desenvolvimento territorial e apresentação da solicitação de registro da IG para o queijo artesanal serrano, será realizada uma solenidade oficial de entrega da requisição de registro da IG pela Federação das Associações dos Produtores de Queijo Artesanal Serrano de SC e RS ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). Se obtida, essa será a primeira denominação de origem para queijos do Brasil.

Assessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar - Regional de Caxias do Sul
Jornalista Rejane Paludo
repal@emater.tche.br
(54) 9 9976-8863
(54) 3223-5633

www.facebook.com/EmaterRS
https://twitter.com/EmaterRS
www.youtube.com/EmaterRS
tv.emater.tche.br