Emater de A a Z

Sobre a EMATER

Detalhe Noticía

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
19/12/2016

Proposta de Manejo Integrado de Pragas é disseminada em Independência

Com a instalação de uma Unidade de Referência Técnica na propriedade de Rogério Redel, na localidade de Ponte Queimada, interior de Independência, o manejo integrado de pragas (MIP) na cultura da soja tem sido observado e seus resultados compartilhados com agricultores do município. Com a divulgação pela Emater/RS-Ascar de práticas de MIP a intenção é otimizar recursos e diminuir o uso de agrotóxicos em lavouras do Noroeste gaúcho, que é uma das regiões que mais consome agrotóxicos no Brasil.

O trabalho já gerou resultados na safra de soja 2015/2016 na região de Santa Rosa e deve ser intensificado na nova safra que se inicia como estratégia de reduzir o uso de inseticidas, fungicidas e herbicidas, dentro de uma estratégia de conhecimento. O extensionista da Emater/RS-Ascar Paulo Ricardo Sartori destaca que além do acompanhamento na propriedade dos Redel, essa é uma ação que deve se expandir para outras propriedades do município. "Para isso, será desenvolvido um dia de campo sobre este assunto, com data a ser definida e divulgada, para que os demais agricultores do município possam participar e constatar na prática como funciona o manejo integrado de pragas e doenças", comenta Sartori.

A essência do Manejo Integrado consiste em saber o que está acontecendo na lavoura para poder tomar as medidas adequadas. Parte-se do princípio de que se possível não se utilize nada, seguido de um controle biológico, após, o controle fisiológico e, por último o controle químico, se necessário.

O MIP Soja, também amplamente divulgado pela Embrapa, reconhece os benefícios do manejo eficiente de pragas como sendo diversos, entre eles, a redução do custo de produção através do controle racional de pragas; diminuição do impacto ambiental pela preservação dos inimigos naturais; redução de perdas de produção e qualidade de grãos; e redução da possibilidade de desenvolvimento de resistência de pragas a inseticidas. A necessidade de controle é decidida comparando-se a densidade populacional de pragas e seus danos, detectados na lavoura, com o nível de ação já estabelecido pela pesquisa.

Na região de Santa Rosa a Emater/RS-Ascar instalou cinco unidades de referência técnica (URT’s), localizadas nos municípios de Independência, Giruá, Rolador, Cândido Godói e Santo Antônio das Missões, que estão sendo monitoradas por técnicos da Emater/RS-Ascar desde o preparo do solo até a colheita. Durante os diferentes estágios de desenvolvimento são monitoradas ocorrência de doenças e insetos para identificar o nível de ação e fazer aplicações de produtos apenas quando necessário, no momento certo.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional Santa Rosa
Jornalista Deise Froelich
dfroelich@emater.tche.br
(55) 3512-6665
(55) 9 9979-8195

www.facebook.com/EmaterRS
https://twitter.com/EmaterRS
www.youtube.com/EmaterRS