Emater de A a Z

Sobre a EMATER

Detalhe Noticía

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
14/04/2010

Centro de Treinamento de Agricultores em Canguçu qualifica agricultura e pecuária da Região Sul

O Centro Regional de Qualificação Profissional de Produtores de Canguçu (Cetac) abriu as inscrições para os cursos a serem realizados em maio. Entre as atividades oferecidas no próximo mês estão o curso de Boas Práticas de Fabricação, Pecuária Familiar Ovinos, Plantas Medicinais - Fitoterapia Animal, Processamento Artesanal de Carne Suína e Processamento Artesanal de Carne de Pescado.

A busca da sustentabiliade da propriedade familiar passa pela necessidade de qualificar a família rural. Com esse objetivo a Emater/RS-Ascar investe na capacitação e profissionalização dos agricultores familiares da Região Sul do Estado por meio de cursos promovidos no Centro Regional de Qualificação Profissional de Produtores de Canguçu (Cetac). Desde 1996, já passaram pelo Centro mais de dez mil pessoas, através de recursos da Emater/RS-Ascar, dos próprios agricultores e de programas dos governos estadual e federal, além da iniciativa privada.

“Há 14 anos a Emater investe na capacitação de agricultores da região, porque acreditamos que esta é a única maneira de melhorar a qualidade e aumentar a produção e a produtividade das propriedades familiares”, avalia o gerente regional da Instituição, Lair Corrêa. Os cursos oferecidos abrangem aspectos econômicos, sociais, ambientais e de resgate da cidadania.

Em uma área de 49,8 hectares o Centro de Treinamento oferece toda a infraestrutura para que os participantes usufruam da melhor maneira possível do curso, como alojamentos e refeitório, ambos para 60 pessoas, cinco salas de aula, espaço de lazer e oito unidades didáticas para realização dos cursos.

“Oferecemos ainda uma estrutura semelhante às das propriedades rurais, para que eles vejam que é possível implementar, na prática diária, os conhecimentos repassados nos cursos e ter um retorno maior na atividade exercida”, comenta o coordenador do Centro, Reginaldo Maciel, que aponta ainda a convivência e a troca de experiências entre agricultores de diversas regiões como outro ponto positivo da participação nas atividades do Centro de Treinamento.

O Cetac é administrado pela Emater/RS-Ascar e conta com o apoio de entidades parcerias, como a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária, Pesca e Agronegócio, a Cosulati, a Prefeitura de Canguçu, o Sindicato Rural, a Escola Agrícola Estadual de Canguçu, a Universidade Federal de Pelotas, a Embrapa. Além do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, que custeia 80% do curso de Bovinos de Leite aos seus associados para melhorar o desempenho da atividade no município.

Entre os cursos previstos para este ano, além da Bovinocultura de Leite, estão o de Artesanato em Escamas de Peixe, Boas Práticas de Fabricação, Curtimento de Pele de Pescado, Irrigação, Manejo e Conservação de Solos e Água, Manufatura de Lã - Básica, Manufatura de Lã - Tingimento, Pecuária Familiar Bovinos de Corte e Ovinos, Plantas Medicinais – Fitoterapia Animal, Processamento Artesanal de Carne de Pescado, Processamento Artesanal de Frutas e Hortaliças, Processamento Artesanal de Carne Suína e Saneamento Ambiental, todos com carga horária entre 32 e 40 horas.

Mais informações e inscrições podem ser feitas no Centro de Treinamento (Rua João de Deus Nunes, 200 – Vila Isabel) ou pelo telefone (53) 3252-2338.

Gado Leiteiro
Entre os cursos mais tradicionais oferecidos na estrutura se destaca o de Bovinocultura Leiteira, o que reflete a realidade da zona sul, onde os agricultores têm no leite uma de suas principais fontes de renda. Desde a inauguração do Centro, 2,8 mil pessoas participaram do curso, que este ano terá sete edições.

Em aulas práticas e teóricas, o agricultor recebe orientações sobre mercado, alimentação, sanidade, reprodução, higiene, qualidade do leite, ordenha, criação correta de terneiras e gerenciamento da propriedade. E o retorno é imediato: em 15 dias já podem ser observados os primeiros resultados.

Segundo Maciel, ao final de cada edição do curso o resultado alcançado pelo agricultor que implementa as técnicas aprendidas é a redução dos custos, o aumento da qualidade do leite e um acréscimo de cerca de 30% na produtividade. “O curso muda a mentalidade do agricultor, que passa a se preocupar com o que acontece da porteira para fora, buscando formas de aumentar sua rentabilidade e, como consequência, melhorar sua qualidade de vida, fixando-o no campo, que é um dos objetivos da Emater”, relata.

Foi o que aconteceu com Eder Buss, produtor de Pelotas que há oito anos trocou o campo pela sala de aula por alguns dias, para participar de uma edição do curso de Bovinocultura de Leite. “Aprendi que algumas coisas que eu fazia achando que eram certas, na verdade estavam erradas. Foi um reforço importante até mesmo para adotar no dia-a-dia algumas práticas que eu sabia serem certas, mas não fazia”, comenta o produtor.

Calendário de inscrições de maio:
10 a 14 - Boas Práticas de Fabricação
18 a 21 - Pecuária Familiar Ovinos
17 a 21 - Plantas Medicinais - Fitoterapia Animal
17 a 21 - Processamento Artesanal de Carne Suina
24 a 28 - Processamento Artesanal de Carne de Pescado


Informações
Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional Pelotas
Jornalista Patrícia Strelow
(53) 3225 7700
pstrelow@emater.tche.br
www.emater.tche.br

voltar                                                                                                                                                                                                                              todas notícias