Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site, consideramos que você está de acordo com nossa Política de cookies

Notícias

Detalhe Notícia

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
16/12/2021

Gado de corte ainda mantém estado corporal satisfatório

A baixa ocorrência de chuvas incide na dificuldade de desenvolvimento das pastagens e o gado de corte ainda mantém estado corporal satisfatório, sendo possível começar a observar um menor ganho de peso dos animais. De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido e divulgado nesta quinta-feira (16/12) pela Gerência de Planejamento (GPL) da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), os pecuaristas realizam consertos e manutenção das cercas, fornecimento de sal comum e sal mineral para os rebanhos, aplicam tratamentos antiparasitários e vacinação contra as clostridioses, além da vacinação contra raiva herbívora nos locais indicados pelas inspetorias de defesa agropecuária (IDAs).

A época de parição está praticamente encerrada, restando somente os animais de propriedades que não adotam temporada de monta. O período destaca-se pelas fêmeas em parição ou lactação e por terneiros em desenvolvimento. As matrizes estão sendo inseminadas com inseminação artificial (IA), inseminação artificial em tempo fixo (IATF) ou colocadas em monta natural.

CULTURAS DE VERÃO

O período entre 06 a 12/12 foi caracterizado pela continuidade do tempo seco, predomínio de sol forte e temperaturas elevadas durante o dia com declínio ao anoitecer, presença de ventos e umidade relativa do ar muito baixa nos horários mais quentes. Esse cenário não favoreceu a soja em implantação, tampouco a consolidada, devido à ausência de umidade no solo afetar o desenvolvimento da cultura e praticamente paralisar a semeadura e os tratos culturais. O plantio chega a 88% da área total estimada, sendo que 97% está em germinação e desenvolvimento vegetativo e 3% em fase de floração.

A semana transcorreu com tempo predominantemente seco no Estado, condição que vem se acentuando desde a segunda quinzena de outubro e resultando em efeitos negativos à cultura do milho. Os baixos volumes de chuvas ocorridos em algumas localidades não chegaram a alterar o cenário. A área cultivada chega a 97% do total estimado, sendo que as condições do tempo têm acelerado o ciclo da cultura e em 7% dos cultivos já ocorre a maturação, outros 35% ainda está em germinação e desenvolvimento vegetativo; 25% em floração e 33% em enchimento de grãos.

Os cultivos de arroz estão sendo beneficiados pelas condições favoráveis de desenvolvimento, por se tratar de cultura com água disponível para todo o ciclo. O plantio da cultura no Estado corresponde a 98% da intenção projetada de 943.893 hectares. Destes, 95% está em germinação e desenvolvimento vegetativo e 6% em floração.

OLERÍCOLAS

Na regional da Emater/RS-Ascar de Bagé, as condições climáticas adversas – com temperaturas elevadas e ausência de precipitações – exigiram maior fornecimento de água aos cultivos. A região mais afetada é a Fronteira Oeste, onde mesmo com irrigação, já há falta de oferta de folhosas na feira municipal de São Borja. Horticultores relatam a dificuldade de produção e a demanda por estruturas que proporcionam sombreamento, que minimizam os efeitos do calor e da insolação. Em Itacurubi, a dificuldade de produção se associa à necessidade de economia de água, já que a maior parte dos horticultores é abastecida pela rede de água municipal.

FRUTÍCOLAS

Na regional da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, áreas de maçã a Noroeste do RS estão em plena colheita, com excelente carga de frutos, boa sanidade e desenvolvimento. Pêssego e ameixa, em plena frutificação e colheita das variedades precoces, com frutos de boa qualidade, boa produtividade e boas vendas. Inicia a frutificação nos citros, sendo necessária boa umidade no solo para os frutos se desenvolverem. A falta de chuvas preocupa produtores e também a alta evapotranspiração em virtude da baixa umidade do ar e das altas temperaturas. Nessa fase ocorre o controle de cochonilhas, ácaros, pulgões, larva minadora e o manejo em prevenção à pinta preta é realizado. A colheita de melão e melancia foi iniciada; a comercialização ocorre na propriedade e em quiosques improvisados na beira de rodovias da região.

Foram registradas perdas na produção de melancia em decorrência das altas temperaturas, com má formação de frutos, maturação irregular e morte de plantas. Tal circunstância irá reduzir a produção de algumas propriedades, ainda não passível de quantificação.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar
Jornalista Taline Schneider
WhatsApp (51) 99918-6934
www.emater.tche.br
www.facebook.com/EmaterRS
https://twitter.com/EmaterRS
www.youtube.com/EmaterRS
Instagram: @EmaterRS
tv.emater.tche.br