Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site, consideramos que você está de acordo com nossa Política de cookies

Notícias

Detalhe Notícia

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
31/08/2021

Cultivo de triticale pode ser alternativa rentável para pastagens de inverno no Vale do Taquari

Ainda pouco difundido no Vale do Taquari, o cultivo de cereais de inverno como alternativa para os pequenos produtores têm sido incentivado por técnicos da Emater/RS-Ascar e por pesquisadores da Embrapa Trigo. Foi pensando nisso que uma parceria entre as entidades possibilitou a implantação de seis unidades de observação de triticale na região, um grão obtido através do cruzamento de trigo com centeio e que se apresenta como uma opção de grande potencial produtivo - especialmente se comparado ao trigo, à cevada e ao centeio.

Localizadas nos municípios de Teutônia, Santa Clara do Sul, Coqueiro Baixo, Progresso, Arvorezinha e Dois Lajeados, cada área monitorada possui cerca de um hectare plantado. As sementes foram obtidas por meio de doação feita pelo produtor Valter Scherer, da Sementes Scherer, do município de Chapada. A articulação ocorreu a partir de um evento sobre Produção de Silagem com Cereais de Inverno realizado no último mês de maio, que possibilitou aos agricultores participantes conhecerem experiências satisfatórias sobre o tema.

De lá para cá os extensionistas da Emater/RS-Ascar, que atua vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Governo do Estado, selecionaram produtores para participar da experiência. O plantio foi realizado em meados de junho e a tarde de segunda-feira (30/08) foi a oportunidade para que representantes da Emater/RS-Ascar e da Embrapa pudessem conferir o andamento da lavoura implantada em Teutônia, na propriedade do agricultor Werner Kohnig. "E a resposta, ao menos de forma aparente, parece estar sendo satisfatória", garante o engenheiro agrônomo da Embrapa Trigo Giovane Faé.

Kohnig já trabalha com trigo desde o começo de 2020, em um espaço de seis hectares. "Foi a estiagem daquele período que nos fez encarar o contexto como uma oportunidade", recorda. Diante da aceitação do rebanho à inclusão do trigo na alimentação, sem comprometer a produtividade e mantendo o equilíbrio na dieta, percebeu uma boa possibilidade de reduzir os custos de produção. Não por acaso, a intenção do agricultor é dobrar a área plantada para a próxima safra, o que incluirá outras variedades como o triticale, que apresenta boa sanidade.

Durante a tarde em que os representantes da Emater/RS-Ascar visitaram a lavoura - na ocasião também acompanharam áreas de triticale nas propriedades de Fernando Mallmann e de trigo de Marcelino Meincke, ambos de Estrela -, também foram repassadas informações sobre adubação, manejo, tipos de semeadura, ponto de colheita e custos de produção. "O que se observa é que o triticale se apresenta como um cereal de inverno de excelente desempenho para a produção de silagem, especialmente por sua rusticidade, que confere a forragem conservada uma ótima qualidade", destaca Faé.

O extensionista da Emater/RS-Ascar, Martin Schmachtenberg, que integra o Grupo Técnico da Instituição que discute ações em bovinocultura leiteira, salienta a ótima conversão do cereal em proteína, já que o triticale possui bastante energia. "O que se percebe é um conjunto de benefícios, já que se trata de uma planta nutritiva para o rebanho, de boa produtividade, de baixo custo de implantação e que não possui grandes dificuldades de manejo", afirma Schmachtenberg. "É um cereal de alta flexibilidade que, segundo estudos, possibilita a obtenção de 1,5 quilos de leite a partir de um quilo de matéria seca de silagem", completa Faé.

A atividade foi acompanhada por outras lideranças, como o gerente regional da Emater/RS-Ascar Marcelo Brandoli, o representante da Embrapa Cerrado Marcelo Mencarini e o secretário da Agricultura de Estrela Douglas Sulzbach, além de técnicos, representantes da cooperativa Languiru e agricultores. No Vale do Caí, a Emater/RS-Ascar está implantando unidades de observação nos municípios de Tupandi e Montenegro. Dúvidas sobre o tema podem ser sanadas com extensionistas da Instituição.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional de Lajeado
Jornalista Tiago Bald
tbald@emater.tche.br
(51) 99194-8872
www.emater.tche.br
www.facebook.com/EmaterRS
https://twitter.com/EmaterRS
www.youtube.com/EmaterRS
Instagram: @EmaterRS
tv.emater.tche.br