Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site, consideramos que você está de acordo com nossa Política de cookies

Notícias

Detalhe Notícia

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
17/08/2021

Emater/RS-Ascar viabiliza uso do selo Senaf para agroindústria marcelinense

A agroindústria KL Alimentos, localizada na comunidade São Sebastião, em Marcelino Ramos, tem a sua atividade econômica baseada na cultura da mandioca. A família, que atua desde o cultivo do solo, colheita, industrialização até a fase de comercialização dos produtos beneficiados (mandioca descascada e mandioca palito), comemorou mais esta conquista. A agroindústria recebeu do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) o Selo Nacional de Agricultura Familiar (Senaf). O certificado foi entregue ao casal empreendedor Marines e Marcos Kruze, na segunda-feira (16/08), em sua propriedade.

A agroindústria produz 300 quilos de mandioca por dia, que são comercializados na região do Alto Uruguai e para em outros municípios próximos. Na propriedade, de 7 hectares, são cultivadas 11 variedades, entre elas algumas obtidas pelo trabalho de seleção que a família realiza e outras através da Emater/RS-Ascar, por meio de órgãos de pesquisa como a Epagri e a Embrapa. Entre os principais fatores geográficos que contribuem para o sucesso da produção, está o microclima e o solo da propriedade, localizada na calha do rio Uruguai. Além disso, Marcos Kruze lembra que são 40 anos de trabalho com produção de mandioca e frutas, que resultam em muita experiência e avalição das cultivares para se chegar ao produto que ganhou mercado há mais de seis anos.

"Não é uma simples plantação de mandioca. Ela começa na muda, na terra, na lavagem da raiz, até chegar à agroindústria. É muito trabalho e dedicação, mas estamos colhendo bons resultados", disse Kruze. Ele adiantou que estuda trabalhar com outros produtos, dentre eles a mandioca pré-cozida e a polpa de mandioca. Em nome da família agradeceu o apoio da Emater/RS-Ascar e da Prefeitura.

O extensionista Antonio Pandolfo elogiou a experiência dos produtores. "É uma família aberta para receber e difundir os conhecimentos", ressaltou ao destacar o trabalho que a Emater vem realizado ao longo dos anos. "A família é um difusor de tecnologia e de avaliação de novos cultivares produzidos pela pesquisa. Colabora com outros produtores de mandioca na medida que é um multiplicador de cultivares, fornecendo anualmente material para a Emater para distribuir para os demais municípios da região que não possuem a proteção contra as geadas, na inversão térmica proporcionada pelo Rio Uruguai", acrescentou. Também lembrou que a família sempre participou das atividades e programas realizados pelo cooperativismo, a exemplo da Vitrine Rural.

O extensionista destacou ainda que a KL Alimentos está legalizada sanitária, ambiental e tributariamente. "Iniciamos com um trabalho avaliando quatro cultivares da Epagri e no ano seguinte estendemos para 11. A necessidade de mão de obra e a renda da agroindústria possibilitou a família trazer de volta as filhas Keila e Pamela, que antes trabalhavam em Concordia. Bem como, deverá viabilizar a nova geração da família na propriedade, uma vez Alexandre Lunge, casado com Pamela, também integra a agroindústria", finalizou Pandolfo.

O prefeito Vannei Mafissoni parabenizou a família pela dedicação, persistência e enfrentamento das dificuldades juntamente com a Emater/RS-Ascar. O secretário municipal da Agricultura Sergio Beal salientou que "é um ato de homenagem mais que merecido", e que trabalha para implantar em Marcelino Ramos o Susaf (Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte), que também considera importante para as agroindústrias.

O gerente regional da Emater/RS-Ascar em Erechim Gilberto Tonello cumprimentou a família em nome da Instituição e destacou o trabalho do Escritório Municipal e da equipe da Unidade de Cooperativismo de Erechim realizado com as cooperativas e agroindústrias. "Essa transformação do produto em agroindustrializado agrega valor, gera renda e emprego e mantém as famílias no campo", enfatizou.

O vereador Enio Wittmann também parabenizou a família pela conquista: "é um reconhecimento importante, pois a família soube buscar alternativas para permanecer no campo e contribuir na sucessão familiar".

O município de Marcelino Ramos conta com oito agroindústrias incluídas no Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf) e outras duas em fase de legalização. É o terceiro município com maior número de agroindústrias na região do Alto Uruguai. A maioria delas está associada à Cooperativa Cocel, a qual atua na comercialização dos produtos industrializados. A ação se viabilização do Selo ocorreu através de duas frentes de trabalho da Emater/RS-Ascar, vincula à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), através da Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters) e da Unidade de Cooperativismo.

Participaram do ato também a extensionista do Escritório Municipal, Dalva da Costa, e o extensionista chefe da Unidade de Cooperativismo da Emater/RS-Ascar de Erechim, Jhonatan Munaretto Imlau.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional Erechim
Jornalista Terezinha Vilk
tvilk@emater.tche.br
(54) 3321-5599 / (54) 99976-8867
www.emater.tche.br
www.facebook.com/EmaterRS
https://twitter.com/EmaterRS
www.youtube.com/EmaterRS
Instagram: @EmaterRS
tv.emater.tche.br