Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site, consideramos que você está de acordo com nossa Política de cookies

Notícias

Detalhe Notícia

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
10/08/2021

Produtor de Lajeado recebe certificado de produção orgânica da Rede Ecovida

Produtor de hortaliças e de frutas orgânicas, o agricultor Leandro Lange, de Lajeado, recebeu na última semana o Certificado de Conformidade Orgânica da Rede Ecovida. Com este reconhecimento, Lange, que integra a Organização de Controle Social (OCS) Orgânicos do Vale, passa a ter o direito de utilizar o selo Produto Orgânico do Brasil, que lhe permitirá comercializar seus cultivos para terceiros, como supermercados e lojas.

Morador do bairro Conventos, o produtor já possui desde 2007 a declaração de conformidade orgânica concedida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) do Governo Federal. O que lhe permite a venda direta ao consumidor em feiras, entregas domiciliares e por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Além de Lange, o agricultor Tiago Belim, de Forquetinha, também recebeu o certificado de conformidade da Rede Ecovida na última semana.

Para Lange, esta é uma forma a mais de reconhecimento pelo trabalho realizado. "É algo que nos deixa felizes, que amplia os mercados, as redes e as oportunidades", avalia. A extensionista da Emater/RS-Ascar Andréia Binz Tonin explica que um alimento é certificado como orgânico quando, durante todas as etapas de produção, fique comprovada a não utilização de adubos e aditivos químicos, agrotóxicos e sementes transgênicas. "Ainda durante o processo é indispensável garantir que não haverá nenhum risco de contaminação interna ou externa, sendo que os insumos externos devem ter garantia de procedência", comenta.

Produtor de itens diversos como, alface, rúcula, couve-flor, beterraba, cenoura, brócolis, berinjela, repolho, pimentão e tomate, entre outros, Lange já atuou como presidente da OCS. O grupo conta com a participação de seis famílias que têm a atividade rural como sustento - sendo três de Lajeado, uma de Cruzeiro do Sul e duas de Forquetinha. "Para as famílias cultivar orgânicos é muito mais que não utilizar produtor "proibidos'", avalia Andréia. "Esse contexto também envolve uma relação ética entre agricultores e consumidores", salienta.

A Rede Ecovida atua no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Nos quatro Estados são 32 núcleos, com 3.230 famílias cadastradas. No Vale do Taquari são 19 famílias ligadas ao Núcleo Rio Pardo, que possui um total de 44 cadastrados. Tanto o processo de OCS quanto o de Sistema Participativo de Garantia (SPG) geram credibilidade a produção orgânica por meio da interação de pessoas ou organizações, sustentado na participação, comprometimento, transparência e confiança entre os envolvidos.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional de Lajeado
Jornalista Tiago Bald
tbald@emater.tche.br
(51) 99194-8872
www.emater.tche.br
www.facebook.com/EmaterRS
https://twitter.com/EmaterRS
www.youtube.com/EmaterRS
Instagram: @EmaterRS
tv.emater.tche.br