Notícias

Detalhe Notícia

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
19/11/2020

Quilombolas relembram história de luta e conquistas com apoio da Emater/RS-Ascar

O 20 de novembro é o Dia da Consciência Negra. A data foi escolhida em razão da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, um dos maiores líderes negros do Brasil que lutou pela libertação do povo contra o sistema escravista. O dia é dedicado à lembrança de lutas e conquistas dos negros no Brasil e à reflexão sobre a inserção deles na sociedade. Para a Emater/RS-Ascar, a escuta sensível e a observação ativa com respeito, reconhecimento e valorização do seu modo tradicional de vida faz parte da rotina diária dos extensionistas de 65 municípios do Estado.

Aqui no Rio Grande do Sul a Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters) atua junto a 4.986 famílias de descentes quilombolas que estão em 65 municípios. Das 136 comunidades certificadas, a maioria está no meio rural, principalmente na Metade Sul do Estado.

O objetivo da Aters é contribuir para a promoção do desenvolvimento da agricultura, geração de renda e trabalho e o bem viver das populações quilombolas do meio rural, executando e mediando programas, projetos, ações e políticas públicas a partir da escuta sensível e da observação ativa com respeito, reconhecimento e valorização do seu modo tradicional de vida.

Na região de Porto Alegre são atendidas pela Emater/RS-Ascar em torno de 2 mil famílias, distribuídas em comunidades nos municípios de Canoas, Capivari do Sul, Cristal, Cerro Grande do Sul, Gravataí, Maquiné, Mostardas, Osório, Palmares do Sul, Portão, Porto Alegre, Tapes, Taquara, Terra de Areia, Três Forquilhas, Triunfo e Viamão.

Nestes municípios, os extensionistas da Emater/RS-Ascar promovem ações de assistência técnica, de conservação e preservação ambiental, de resgate e valorização da cultura; e social, de geração de renda também por meio do turismo e do artesanato, produção para subsistência e acesso a políticas públicas, como programas habitacionais.

Em Mostardas, a Emater/RS-Ascar atende integrantes das comunidades do Beco dos Colodianos, Teixeiras e da Casca. A comunidade da Casca, em novembro de 2010 foi a primeira a ser reconhecida no Rio Grande do Sul e lá vive dona Ilza de Matos Machado, 85 anos, uma guerreira negra que lembra a história de luta do seu povo.

Segundo o secretário da Associação dos Quilombolas da Comunidade de Teixeiras, Márcio da Costa Carneiro, uma das principais conquistas foi a criação, em 2005, do Fórum das Comunidades Quilombolas do Litoral Médio que se mantém até hoje como um espaço de discussão e formulação de ideias e de solicitação e encaminhamento de necessidades coletivas.

A extensionista da Emater/RS-Ascar em Mostardas Caroline Quadros ressalta que tudo isso é reflexo da Aters, que está diariamente apoiando e assessorando os quilombolas para que suas necessidades sejam supridas. O Fórum também é um espaço de integração e valorização da cultura, tanto que todos os anos é promovida a Festa da Consciência Negra, evento que não ocorrerá em 2020 em função da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Já em Viamão, são atendidas as comunidades da Anastácia, o Cantão das Lombas e o Peixoto dos Botinhas. Uma das grandes conquistas lembradas pelo presidente da Associação Peixoto dos Botinhas foi a construção da sede própria, inaugurada em 2019. "Com muita luta e muito trabalho, após quase dez anos, nós realizamos nosso sonho", ressaltou Antônio Gomes. O presidente relembra ainda do apoio importante da Emater/RS-Ascar em várias ações na comunidade.

A extensionsta da Emater/RS-Ascar em Viamão, Maristela Ebert, explica ainda que além do espaço multiuso, nas comunidades do município a Instituição contribui para que os quilombolas tenham acesso à documentação e às políticas públicas, água de qualidade e saneamento. Também são promovidas ações de estímulo à produção e segurança alimentar, fomento e geração de renda inclusive por meio do artesanato e Turismo Rural.

Na região de Soledade, são 274 famílias quilombolas assistidas pela Emater/RS-Ascar. Ao todo, são oito comunidades localizadas nos municípios de Arroio do Tigre, Encruzilhada do Sul, General Câmara, Jacuizinho, Lagoão, Rio Pardo e Vale Verde. A presidente da Comunidade Quilombola Rincão dos Caixões, no município de Jacuizinho, Tatiane da Silva Fernandes, lembra a importância do reconhecimento da comunidade quilombola para o acesso às políticas públicas e as melhorias obtidas. "Com o reconhecimento tivemos bastante visibilidade perante a sociedade, acesso a politicas públicas voltadas para o público quilombola que possibilitaram melhorias na nossa comunidade e nos inteiramos do que é de direito do povo quilombola", lembra ao citar o reconhecimento da área de 226 hectares de terra na qual está localizada a comunidade e a construção do centro comunitário.

A quilombola também lembra a importância do trabalho de Aters para o fortalecimento da autoestima da comunidade. "Antigamente tínhamos receio de chegar às repartições públicas e solicitar os benefícios para a comunidade, além do receio em participar de atividades no município, como os encontros de mulheres e jogos rurais. Com a autonomia da comunidade e com muito incentivo da Emater começamos a participar dessas atividades e ir em busca de uma melhor qualidade de vida", destaca Tatiana.

Tatiana ainda frisa a importância da Semana da Consciência Negra para a comunidade. "É o momento de celebrar grandes vitórias obtidas no decorrer de muitos anos e décadas, sem esquecer das nossas lutas e seguir na busca dos direitos que reivindicamos", conclui.


Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional de Porto Alegre
Jornalista Carine Massierer
cmassierer@emater.tche.br
(51) 99997-8803
www.emater.tche.br
www.facebook.com/EmaterRS 
https://twitter.com/EmaterRS 
www.youtube.com/EmaterRS 
Instagram: @EmaterRS
tv.emater.tche.br