Para otimizar sua experiência durante a navegação, fazemos uso de cookies. Ao continuar no site, consideramos que você está de acordo com nossa Política de cookies

Notícias

Detalhe Notícia

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
03/07/2020

Coletividade e união de agricultores familiares marcam Dia do Cooperativismo

O interesse coletivo e a união de esforços fazem com que muitos gaúchos apostem na formalização de cooperativas e associações para o crescimento das famílias, em especial as cooperativas de agricultores familiares. Para comemorar o Dia do Cooperativismo, celebrado sempre no primeiro sábado de julho, neste ano no dia 04/07, a Emater/RS-Ascar relembra que, há 65 anos, atua no assessoramento de agricultores, acompanha estas iniciativas e auxilia na gestão. Com o objetivo de qualificar ainda mais o atendimento a essas famílias, em 2011, foram criadas as Unidades de Cooperativismo (UCPs), formadas por equipes multidisciplinares e localizadas nos municípios de Erechim, Frederico Westphalen, Ijuí, Pelotas, Porto Alegre, Santa Cruz do Sul e Santa Rosa.

Para o ano de 2020, a meta da Emater/RS-Ascar, em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), é assistir 160 cooperativas da agricultura familiar, sendo que destas, quatro são centrais cooperativas. São cerca de 40 mil famílias cooperadas que contam com o apoio da Instituição para o seu desenvolvimento. Além das cooperativas, também são assistidas, em média anualmente, 40 associações de agricultores familiares.

Uma das ações da Instituição é executar o Programa Extensão Cooperativa da Seapdr, que tem por objetivo apoiar a qualificação das cooperativas da agricultura familiar nas áreas de organização, gestão de pessoas, comercialização, marketing, finanças, custos e gestão de processos. "Queremos que essas cooperativas tenham maior competitividade através da intercooperação ao acessar mercados institucionais e privados. Esse apoio se dá tanto para cooperativas já estruturadas quanto para as que estão em fase de constituição", explica o extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Francisco Manteze.



As cooperativas

Criar uma cooperativa requer comprometimento, ativismo, responsabilidade de todos e, principalmente, união. Há cinco anos, agricultores familiares do município de Soledade iniciaram a Cooperativa dos Agricultores Familiares do Alto Botucaraí (Cooafab). Atualmente, a cooperativa possui 39 sócios e articula a comercialização de produtos como hortigranjeiros, panificados, massas e embutidos, sendo o principal mercado o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). "Incentivados pela Emater, criamos a cooperativa que nos auxilia na comercialização dos produtos. Temos uma grande ajuda da Emater com reuniões e esclarecendo dúvidas", frisa o presidente da Cooafab, Élio Pereira Paixão. O agricultor destaca ainda a importância da cooperativa para as famílias participantes. "Só unidos é que vamos conseguir nossos objetivos, crescer e ter um próspero desenvolvimento que é o que todos nós queremos".

Com a caminhada já consolidada, a Cooperativa Mista de Agricultores Familiares de Itati, Terra de Areia e Três Forquilhas (Coomafitt), fundada em 2006. O atual presidente, o jovem Bruno Engel Justin, é agricultor em Três Forquilhas e lembra da contribuição da Instituição mesmo antes da fundação oficial da cooperativa. "Nós temos uma enorme parceria e caminhada com a Emater, pois os extensionistas dos escritórios da região e a Unidade de Cooperativismo participam ativamente, inclusive apoiando a gestão, e este trabalho é extremamente importante para o fortalecimento do cooperativismo", ressalta Justin.

Atualmente, a Coomafitt tem 270 associados, pessoas que viram no cooperativismo, segundo Justin, uma ferramenta de transformação social e uma forma de acessar mercados de forma direta e mudar a realidade que o agricultor vivia. A cooperativa destina os produtos dos associados para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e entrega de cestas a domicílio diretamente para os consumidores.

No sul do Estado, em Pelotas, a agricultora e presidente da Cooperativa Sul Ecológica, Marigaiane de Medeiros, ressalta as oportunidades que a família tem obtido por meio da cooperativa. "Através da cooperativa conseguimos comercializar nossos produtos, acessar políticas públicas e mercados institucionais. E isso é uma garantia de renda e de comercialização que faz com que o agricultor se mantenha no campo".


Desafios da pandemia

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, as ações da Emater/RS-Ascar junto às cooperativas precisaram ser adaptadas, assim como a comercialização dos produtos. O uso de tecnologias é estratégico tanto para a qualificação dos agricultores quanto para a comercialização dos seus produtos.

Em Lagoa Vermelha, o agricultor e presidente da Cooperativa Lagoense de Agricultura Familiar (Coolaf), Arivaldes Sasset, explica que os sócios da cooperativa se adaptaram à nova realidade. "Com o início da pandemia as entregas para o Pnae ficaram prejudicadas. Com a Emater pensamos em uma forma de vender o produto já cultivado. Reinventamos uma entrega por delivery nas casas. As entregas são diárias e isso faz com que a cooperativa se mantenha com força e trabalhando".

"Temos uma integração muito importante com outras cooperativas e parceiros, onde realizamos seminários e reuniões de integração que tragam mais orientações. O encontro anual que realizaríamos em 2020 precisou ser cancelado, mas continuamos a fazer os trabalhos internos, reuniões virtuais para continuar a integração e participação no cooperativismo que é tão importante", relata a vice-presidente da Cooperativa dos Produtores de Venâncio Aires (Cooprova), Monica Moraes.

A Extensionista Rural da Emater/RS-Ascar, Patrícia Fogaça Fernandes, ressalta que a Instituição tem realizado cursos e oficinas de educação à distância para a qualificação dos produtores. São 117 alunos na Oficina sobre Elaboração e Execução de PAA - Doação Simulatânea; 116 alunos na Oficina de Custos de Produção e Logística para a Agricultura Familiar; e 86 na Oficina Modelo de Negócios - Ferramenta Canvas. "Também acolhemos cooperativas para trabalhar com plataformas de e-commerce para ajudar no escoamento da produção. Por isso, a Emater lançou a Feira Virtual da Agricultura Familiar (Fevaf), uma ferramenta digital, que já conta com quase mil cadastrados, para que produtores rurais, agroindústrias e cooperativas possam fazer a comercialização de forma virtual".

Foto: Ivan Andrade
Assessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar - Regional de Soledade
Jornalista Carina Venzo Cavalheiro
cvenzo@emater.tche.br
(54) 3381-3804 / (54) 9 9623-3388
www.emater.tche.br
www.facebook.com/EmaterRS
https://twitter.com/EmaterRS
www.youtube.com/EmaterRS
Instagram: @ematerrsoficial
tv.emater.tche.br