Emater de A a Z

Área Técnica

Silvicultura

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra

Silvicultura é a ciência que se ocupa das atividades ligadas à implantação e à regeneração de florestas. Visa, desta forma, ao aproveitamento e à manutenção racional das florestas, em função do interesse ecológico, científico, econômico e social.

O setor florestal gaúcho tem uma tradição de mais de um século e possui, hoje aproximadamente 650 mil hectares (2,3% da área total do RS) de florestas plantadas com espécies exóticas de rápido crescimento, nos quais predominam o eucalipto, o pínus e a acácia-negra. Com relação às florestas nativas, que no ano de1956 correspondiam a 34% do território gaúcho, caíram para 5% em 1982, aumentaram em 2001 para 17,5% e atualmente, segundo fontes do setor florestal gaúcho, superam os 20% da área total do RS.

As florestas plantadas visam garantir o suprimento de matéria-prima para as indústrias de papel e celulose; madeira para a construção civil e usos nas propriedades rurais; compensados, lâminas e painéis para o setor moveleiro; carvão vegetal e lenha para produção de energia, entre outros usos.

A atividade florestal é capaz de se integrar aos sistemas tradicionais de produção agropecuária, otimizar o uso racional dos recursos naturais existentes e contribuir para a aceleração do processo de recuperação e conservação ambiental.

Os modelos de gestão de propriedades rurais familiares no RS consideram, cada vez mais, os cultivos em sistemas agroflorestais como práticas estratégicas na reestruturação dos arranjos produtivos instalados nas propriedades rurais, em decorrência da aplicação da legislação ambiental, que leva muito em conta também a aptidão e a capacidade de uso do solo como meios para acelerar a obtenção da “adequação ambiental das propriedades rurais”.

Os agricultores familiares, ao implantarem suas florestas comerciais ou de preservação, poderão contar com o apoio e a orientação dos técnicos da Emater-RS/Ascar na escolha das espécies florestais, exóticas ou nativas mais indicadas para o plantio; sobre os usos futuros da madeira; os tipos de consórcios ou sistemas de produção mais indicados às peculiaridades de cada região do Estado; a correta aplicação do Zoneamento Ambiental da Silvicultura no RS e quanto ao Código Florestal, tendo em vista o seu compromisso institucional em promover o desenvolvimento sustentável com base legal.

Responsáveis pelas Informações

Dirceu Luiz Slongo