Emater de A a Z

Área Técnica

Floricultura

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra

O RS é o Estado que apresenta o maior consumo per capita de flores. O cultivo de flores para fins comerciais ainda se concentra em poucos municípios, poucos produtores e pequena área, mas está em rápida expansão.

A participação na Câmara Setorial da Floricultura Brasileira, somada à organização dos floricultores gaúchos em diversas associações de âmbito regional e estadual, garante aos produtores gaúchos espaço no cenário nacional da floricultura através da participação na Câmara Nacional da Floricultura.

Objetivo

O trabalho de assistência técnica e extensão rural (Ater) deve priorizar e dar suporte à organização dos floricultores na busca das soluções de mercado e acesso aos insumos necessários à atividade.

Principais ações

  • Apoio à organização dos produtores e da comercialização
  • Facilitar aos produtores o acesso à tecnologia de produção de domínio no Estado ou em outros estados produtores.
  • Facilitar ao produtor o acesso a informações de mercado através dos escritórios municipais e com o suporte da plataforma de comercialização sediada na Ceasa/RS

Responsáveis pelas Informações

Antônio Conte
Valtair Niemeier

O cultivo de espécies olerícolas, visando à comercialização, a cada ano, expande-se para novas regiões do Rio Grande do Sul.

A diversidade de solos, as diferentes condições climáticas, a grande disponibilidade de água para irrigação e a tradição da agricultura familiar fazem deste Estado um dos maiores produtores brasileiros.

Estima-se que no Rio Grande do Sul sejam cultivados cerca de 69 mil hectares com mais de 25 diferentes espécies olerícolas destinadas à alimentação humana. Essa atividade é realizada por aproximadamente 35 mil agricultores que têm nessa atividade uma renda para sua subsistência.

A constituição étnica do RS, formada com diversos povos de origem europeia, trouxe o hábito de cultivo de hortas para a subsistência e segurança alimentar. Aos poucos, isso passou a ser atividade de renda e hoje muitos agricultores transformaram-na em principal atividade da propriedade.

A produção gaúcha abastece o mercado e é exportada principalmente para a região Sudeste, mas também são importados produtos de outros Estados, principalmente de regiões mais quentes.

Objetivo

Existe uma grande deficiência de pesquisa nessa área, no Rio Grande do Sul. Por isso, destaca-se a necessidade de a Ater proporcionar a troca de conhecimentos entre produtores, os quais foram gerados pelo tempo de dedicação na atividade, e a difusão daqueles gerados pela pesquisa.

A produção para consumo próprio, o abastecimento local e a autonomia do Estado devem ser o foco do trabalho da Emater/RS-Ascar.

Principais ações

  • Concentrar ações na elaboração de projetos que busquem atender a necessidade de água para irrigação para todos os produtores que produzem olerícolas com finalidade comercial;
  • Priorizar o uso de práticas e insumos de menor impacto ambiental visando à obtenção de produtos sem resíduos tóxicos e com maior qualidade alimentar;
  • Incentivar a instalação de agroindústrias visando à absorção de parte da produção a fim de regular a oferta ao mercado;
  • Incentivar o uso de boas práticas para oferecer ao mercado produtos competitivos, de qualidade e que atraiam o consumidor nas épocas de safra;
  • Facilitar ao produtor o acesso a informações de mercado através dos escritórios municipais e com o suporte da plataforma de comercialização sediada na Ceasa/RS.

Responsáveis pelas Informações

Antônio Conte
Valtair Niemeier