Emater de A a Z

Área Técnica

Irrigação

Separador vertical Imprimir esta página Separador vertical Diminuir letra Aumentar letra
Irrigação

A irrigação é uma técnica milenar com o objetivo de fornecer a quantidade de água necessária, na hora certa que a planta necessita. Em algumas regiões do planeta e também no Brasil, o cultivo de determinadas culturas só é possível com a utilização da irrigação. Quando isso acontece, chamamos de irrigação total, ou seja, quando toda a água fornecida às plantas provém de irrigação. Já em outras regiões, usa-se a irrigação para complementar a quantidade de água necessária à planta, quando a precipitação é mal distribuída.

A irrigação deve ser considerada como parte de um conjunto de técnicas utilizadas para garantir a produção econômica de determinada cultura, com adequado manejo dos recursos naturais. Para isso, devem-se levar em conta os aspectos de sistemas de plantio, de possibilidades de rotação de culturas, de conservação e fertilidade do solo, de manejo integrado de pragas e doenças e de mecanização, almejando uma produção de grãos ou forragens integradas de boa qualidade, com inserção nos mercados consumidores.

O Rio Grande do Sul planta ao redor de 6 milhões de hectares de lavouras de sequeiro: milho, soja, feijão, fumo e outras, das quais, em torno de 2%, possuem sistemas de irrigação. São apenas 80 mil ha irrigados com o uso de pivô, 30 mil ha por outros tipos de aspersão e 5 mil ha por gotejamento. A evolução da irrigação no Estado tem sido lenta, não obstante esforços que foram e vêm sendo realizados. Retrato disso é que, desde a década de 1980, somente 600 produtores instalaram cerca 1.100 pivôs de irrigação no Estado.

O Estado do Rio Grande do Sul tem uma média de regime anual de chuvas muito bom, ao redor de 1.600 mm/ano, o que permite o armazenamento de água e o uso na agricultura.

Entretanto, a utilização de irrigação ainda é extremamente baixa no Estado gaúcho, não considerando a lavoura de arroz, que utiliza o sistema de inundação e obtém a maior produtividade do Brasil. Segundo estatísticas da Conab, as produtividades médias das safras de grãos de cultivos de verão no Rio Grande do Sul (exceção feita ao arroz) são muito baixas se comparadas com outros Estados brasileiros, não obstante o potencial e a tecnologia disponível. Além disso, a produção de leite no verão oscila por falta de produção de pastagens devido à má distribuição das chuvas.

O Estado do Rio Grande do Sul criou o programa estadual de irrigação que estimula os agricultores a usarem a irrigação como tecnologia de produção.

A Emater/RS-Ascar é executora do Programa Irrigando a Agricultura Familiar, da Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), e uma das executoras do Programa Estadual de Expansão da Agropecuária Irrigada “Mais Água Mais Renda”, da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa), do Governo do Estado, visando promover o desenvolvimento socioeconômico e sustentável.

A irrigação atua como um seguro agrícola para o produtor rural, garantindo maior estabilidade do retorno econômico proveniente da atividade agrícola, facilitando o planejamento dos investimentos a médio e longo prazo.

Atividades Prioritárias

  • Qualificação do quadro técnico.
  • Qualificação e profissionalização dos produtores que trabalham com irrigação.
  • Elaboração de projetos de reservação de água e projetos de sistemas de irrigação.
  • Fornecimento de assistência técnica e extensão rural aos irrigantes.

Folders

  • Mais água mais renda
  • Irrigando a agricultura familiar

Responsáveis pelas Informações

Eng. agrônomo José Enoir S. Daniel

Eng. agrícola Rogério Mazzardo

Políticas Públicas

  • Programa “Irrigando a Agricultura Familiar”.
  • Programa de Expansão da Agropecuária Irrigada “Mais Água Mais Renda”.